Estação Mix – Uma Viagem Musical

“Uma música nos faz viajar por vários caminhos. Com informação e diversão o rádio nos faz companhia. Na Trilha do sucesso, um bela Discografia encurta as distâncias. Nesse Mix de lugares Alternativos somos embalados com muito Som e Estilo. Um bom Papo acompanhado de um belo Café encerra a viagem. O Estação Mix é o destino dos amantes de boa música.”

publs

Publicidade Final

O tema ” Uma viagem musical” foi pensado em cima do nome do programa Estação Mix e do seguimento musical que o programa aborda, fazendo referência às estações ferroviárias. A imagem foi obtida através do programa Photoshop, onde a imagem do casal que aparece dançando foi inserida na imagem de uma estação de trem.

blog

1° Rascunho

publicicidade

2° Rascunho

O texto com apelo racional dá informações do programa de rádio e o texto com argumento racional faz uma brincadeira com os nomes dos quadros do programa, que estão destacados em itálico e com as iniciais em maiúsculo. A redação publicitária, baseando- se na temática da proposta, foi definida tendo em vista que: Ao escutar uma música, de fato, há uma viagem no espaço e até no tempo, e que viajar ouvindo música torna a viagem mais agradável.  A escolha das imagens remonta a nostalgia dos anos 30 e 40, época áurea do rádio.

Foram produzidas três peças, com o mesmo processo e a mesma ideia, mudando apenas as imagens em uma delas. Em uma há uma arte moderna em cima da imagem, com linhas e recortes e na outra algo mais simples, apenas com o texto em cima da imagem. Alguns detalhes foram ajustados, como o posicionamento das frases , a cor das fontes, a exclusão dos arabescos e o acréscimo de uma frase no final do texto; para chegar no resultado final adequado da peça escolhida(primeira imagem).

Anúncios

A Construção do Discurso Publicitário

“As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa. Deviam preocupar-se mais com os custos de não fazer nada.” Philip Kotler
gogreen2

A construção de uma peça publicitária leva em consideração muitos elementos. Não se restringe apenas a mostrar o produto ou a ideia que se quer vender. Uma boa peça deve levar em conta os “elementos de persuasão”, sejam eles textuais ou visuais – podendo se estender também a elementos sonoros, caso a peça seja dedicada para um veiculo como a TV, por exemplo. É de suma importância considerar [e reconhecer] que esses elementos ajudam a compor a propaganda em seu amplo aspecto, seja pelo lado racional ou pelo emocional [e em muitos casos as agências vão apelar para esse segundo lado]. Nessa oportunidade, vamos analisar duas propagandas que circularam em um veiculo impresso, considerando os dois aspectos (textual e visual) e como eles atuam na construção da peça – seja no sentido de torná-la eficiente ou atuando como um complicador para a sua compreensão.

Nada é para sempre…

Revista Veja - 16/05/15 Agência DENTSU

Revista Veja – 16/05/15
Agência DENTSU

A primeira peça que vamos analisar se utiliza [e até abusa] de elementos visuais e textuais. A propaganda da câmera fotográfica Canon chama a atenção, num primeiro momento, pela imagem de grande destaque. A fotografia de uma mulher grávida gera no leitor uma identificação natural.  De forma instintiva, uma imagem tente a ser o primeiro “objeto” procurado pelos nossos olhos. Nesse caso, existe uma aproximação do “personagem” retratado na peça e o leitor. Assim, podemos considerar que se trata do primeiro elemento emocional da peça [Pathos]. Num segundo momento, consegue conciliar título [Dia das Mães], subtitulo [Guarde essa emoção para sempre] e a imagem de grande destaque, causando um apelo puramente emocional. Não diferente disso, o texto que vem logo em seguida confirma ao dizer “Ser mãe é um momento inesquecível da vida”.


Curioso notar que o mesmo subtítulo que apela para o lado emocional, também pode ser considerado um primeiro elemento racional [Logos]. Isso porque ao dizer “Guarde essa emoção para sempre”, ocorre uma indicação acerca da durabilidade. Não seria demais supor, ainda nesse mesmo aspecto, que destaca a qualidade do produto. Isso pode ser confirmado pelo texto que segue: “Registre cada instante e garanta fotos incríveis com o máximo de qualidade usando uma Canon”.


O lado racional se torna explícito no decorrer da propaganda quando ocorre a divulgação de uma espécie de “promoção” do produto: “Na compra de uma câmera Canon, você ganha um foto livro personalizado”. Seria interessante perceber que aqui existe [implicitamente] um apelo também ao emocional.

A propósito, a peça publicitária da Canon revela [quase explicitamente] o caráter ético e os valores da empresa [Ethos]. Está muito relacionado à qualidade e durabilidade de seus produtos. Isso pode ser compreendido ao relacionarmos os elementos apresentados, como o subtítulo, o próprio texto e a imagem – como se quisesse passar para o público a imagem de que seus produtos fazem parte da história das pessoas, até mesmo antes delas nascerem.

A propaganda é “assinada” com uma chamada para o público conhecer os produtos Canon na internet, através das redes sociais (facebook, twiter e youtube) e do site da empresa. Em destaque, o logotipo acompanhado do slogan: “O Melhor Click”.

…informação sim

 A segunda peça se destoa da primeira sobretudo quando não se propõe, em nenhum momento, a fornecer uma informação “mastigada” ao leitor. A começar pelos “objetos” que [a princípio] não têm uma relação evidente entre si. Dispostos sobre uma imagem de fundo “lisa”, permite, primeiramente, que o leitor identifique facilmente os elementos e, num segundo momento, que a leitura não se torne cansativa.

Revista Veja - 16/05/15 Agência GDM Comunicação

Revista Veja – 16/05/15
Agência GDM Comunicação

A propaganda da revista Abril sobre uma de suas revistas é muito feliz ao permitir, através dos poucos elementos, que o leitor seja instigado a não virar a página. A presença de um olho, um foguete e um cérebro desperta no leitor a curiosidade sobre como esses objetos podem, de alguma forma, se relacionar. Tudo começa a fazer sentido quando nos atentamos para o texto que acompanha a peça. Nele existe um evidente apelo ao racional [Logos]. Existe até um caráter informativo quando diz: “Seus milhões de neurônios estão prontos para entrar em ação”. Nesse sentido, o relacionamento entre os “objetos” se faz valer quando identificamos que o objetivo aqui é fazer uma relação entre o momento em que a informação chega ao leitor através dos olhos e é levada pelo foguete – representando o “caminho” e o tempo que a informação leva – até chegar ao cérebro. Podemos supor, assim, que a revista quer passar a ideia de que a informação, por ela veiculada, chega primeiro ao público. Um segundo aspecto que também pode ser considerado é em relação à compreensão do conteúdo – como se a informação fosse de fácil entendimento [Ethos]. O lado racional aparece mais uma vez quando a peça utiliza no texto uma palavra de ordem: “Leia INFO. no tablet, no celular e no computador”.

A assinatura da peça é feita através da logotipo da revista, localizada no canto inferior esquerdo junto com um convite para que o público baixe o aplicativo [não deixa de ser um Logos] e conheça o site.

 Para saber mais sobre Logos, Pathos e Ethos, clique aqui.